A CONEXÃO ENTRE O DIREITO INTERNACIONAL PRIVADO, DIREITOS HUMANOS E OS NOVOS SENTIDOS DO DIREITO DO TRABALHO.

Ximene Semirames Pereira Dall’ago

Resumo


Neste artigo pretende-se demonstrar a conexão do Direito Internacional Privado com os Direitos Humanos e ainda apresentar os novos sentidos do Direito do Trabalho, sob a perspectiva da teoria social crítica. O Direito Internacional Privado diante das grandes transformações ocorridas em virtude da globalização, passou a ampliar sua relação com os demais ramos do conhecimento jurídico, dentre eles os Direitos Humanos, que acabou se universalizando e também pode ser visto na atualidade como um balizador em caso de conflitos internacionais. Diante dessa universalização, o Direito do Trabalho caminha para fazer parte dos Direitos Humanos, ampliando sua proteção, não ficando adstrito ao trabalho vendido e separado da vida, perfilhando uma proteção mais ampla, que venha a preservar o ser humano e seu trabalho na forma livre, para que assim o Direito do Trabalho seja enquadrado no contexto do Direito à Vida ou/e do Direito à Existência. 

Palavras-chave


Direito Internacional Privado. Direitos Humanos. Direito do Trabalho.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Everaldo Gaspar Lopes de. Direito do Trabalho e Pós-Modernidade: fundamentos para uma teoria geral. São Paulo: LTr, 2005.

ARAÚJO, Eneida Melo Correia de. As relações de trabalho: uma perspectiva democrática. São Paulo: LTr, 2003.

ARAUJO, Nádia de. Direito Internacional Privado: teoria e prática brasileira. 4. ed. rev. atual. e ampl., Rio de Janeiro: Renovar, 2008.

BARROS, Sérgio Resende de. Direitos Humanos: paradoxo da civilização. Belo Horizonte: Del Rey, 2003.

BOBBIO, Norberto. A era dos direitos. Trad. Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Campus, 2004.

_______. Teoria Geral da Política: a Filosofia Política e as Lições dos Clássicos. BOVERO, Michelangelo (org). Trad. Daniela Beccaccia Versiani. Rio de Janeiro: Campus, 2000.

CARBONARI, Paulo César. Globalização e direitos humanos: identificando desafios. In: LIMA JR, Jayme Benvenuto (Org.). Direitos Humanos Internacionais: avanços e desafios no início do século XXI. Recife: GAjop/MNDH, p. 95-109, 2001.

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS, ONU, 1948.

DELGADO, Mauricio Godinho. Curso de Direito de Trabalho. 4. ed. São Paulo: LTr, 2005.

GORZ, André. Metamorfoses do trabalho: Crítica à razão econômica. São Paulo: Annablume, 2007.

LENZA. Pedro. Direito Constitucional esquematizado. 13. ed. rev. atual. e ampl., São Paulo: Saraiva, 2009.

LORETO, Sylvio. Soberania em Tempo de Globalização. In: BRANDÃO. Cláudio, ADEODATO, João Maurício; CAVALCANTE, Francisco (Org.). Princípio da Legalidade: da dogmática jurídica à teoria do direito. Rio de Janeiro: Forense, p. 575-601, 2009.

MARCUSE, Herbert. Cultura e Sociedade. v. 2. São Paulo: Paz e Terra, 1998.

MÈSZÁROS, Mezales. Teoria da Alienação em Marx. São Paulo: Boitempo, 2006.

NEVES, Marcelo. Transconstitucionalismo. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2009.

_______. “A força simbólica dos direitos humanos”. In: Revista Eletrônica de Direito do Estado, n. 4. Salvador: Instituto de Direito Público da Bahia, out./dez. 2005, 35 p. Disponível em: . Acesso em: 14 fev. 2015.

PIOVESAN, Flávia. Direitos Humanos e o direito constitucional internacional. 11. ed. rev. e atual., São Paulo: Saraiva, 2010.

PINHEIRO, Carla. Direito Internacional e Direitos Fundamentais. São Paulo: Atlas, 2001.

RAMOS, André de Carvalho. Processo Internacional de Direitos Humanos. Rio de Janeiro: Renovar, 2002.

SARLET. Ingo Wolfgang. A Eficácia do Direitos Fundamentais: uma teoria geral dos direitos fundamentais na perspectiva constitucional. 10. ed. rev. atual. e ampl., 2. tir. Porto Alegre: Livraria do Advogado Editora, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1677-1591 (versão impressa) e ISSN 1677-5716 (versão on-line).